Integração Lavoura/Pecuária

Um caminho sem volta de produtividade

pages_2y10MdEdUV9g7eSTzGJwrWLlleyu463nbJQlcDKr2c9ornoitgr8T4Aiy


A Integração Lavoura e Pecuária (ILP) é uma das grandes conquistas tecnológicas do agronegócio praticado nos trópicos. Veio responder positivamente para a melhoria do solo – do pouco produtivo ao degradado – a competitividade da bovinocultura de corte frente a outras culturas, a diversificação dos produtos na fazenda e, consequentemente, ao incremento da lucratividade.

O sistema de ILP da Cibrapa começou a ser implantado em meados do ano 2.000. A área começou com 700 hectares e em menos de uma década já estava abrangendo 3 mil hectares. Entre os principais impactos positivos da integração na pecuária está o de superar a sazonalidade na produção de pastagens e ter alimento de qualidade disponível nos períodos de restrição de chuvas para manter a condição física e de desenvolvimento do gado. Assim os produtos de cada safra da Cibrapa superam a fase de desmame com tranquilidade. Os machos são preferencialmente vendidos no leilão Mega Carpa e as fêmeas entram no programa de recria.       

Isso tudo acontece porque o sistema integrado, que associa o pasto à cultura da soja, devolve características importantes ao solo – em termos de nutrientes – que são perdidas com o tempo de utilização. Quem explica é o gerente de pecuária da Cibrapa, Marcos Junqueira Cardoso.

As áreas destinadas ao sistema ILP são cultivadas com soja no verão e recebem as sementes de pastagem no inverno, ou seja, elas estão consolidadas nas duas atividades, em vários aspectos positivos. “Com o manejo do plantio de soja todo ano criamos uma condição ideal de fertilidade para a cultura e em consequência o pasto herda o benefício da cobertura que é melhorada a cada ano. Talvez o mais importante seja a regularidade da safra, e também a qualidade da massa do capim produzido”, explica Cardoso.

O material orgânico deixado sobre o solo após o cultivo da oleaginosa colabora muito para o desenvolvimento do capim. Entre o final do mês de maio, início de junho, as áreas ficam prontas para receber o gado que permanece ali até final de agosto ou começo de setembro, dependendo da chegada das chuvas.

A aptidão da fazenda é essencialmente a pecuária e a janela de plantio onde ela está localizada é mais curta para a safrinha do grão. Com a integração a Cibrapa acabou instituindo o que a equipe chama de safrinha de carne.

O começo do período das águas marca o tempo de preparar a lavoura e a variedade que veio a compor melhor com a bovinocultura foi a bracchiaria sobre a soja. Retiram-se os animais, espera-se a rebrota do capim, realiza-se o dessecamento e faz-se, por fim, o plantio direto da soja. O desmame acontece entre maio e julho. Os bezerros chegam de todos os retiros, de pastagens que estão muito distantes da condição que irão encontrar. O teor de proteína da ruziziense no sistema chega a 14%, considerado excelente no período. Com esse pasto bom e suplemento mineral proteico os animais continuam ganhando peso. Quando chegam as águas e eles precisam sair para a entrada da soja, a equipe usa o confinamento para aliviar a fazenda.

Para melhorar as áreas de pastagens fixas, a Cibrapa retomou a reforma direta nas áreas onde a soja não é usada. O projeto comprova que a integração confere um suporte na produção de alimentos suficiente para suprir toda a demanda do rebanho.

infografico_fotos_ilp